Newsletter nº61

17 de novembro de 2016 às 11:43

Em outubro Cartório Mais inaugurou
sua 5ª franquia em São Paulo

A quinta franquia da rede Cartório Mais em São Paulo chegou à Mogi das Cruzes no dia 1º de outubro. A loja, que está localizada na Vila Mogila, foi inaugurada com um coquetel para empresários, amigos e autoridades locais. “Acredito que iremos facilitar a vida dos nossos empresários, lojistas, advogados e mogianos em geral. A população estava precisando dessa facilidade e nós estamos dispostos a melhorar a vida da nossa cidade prestando um serviço de qualidade, sem burocracia e com a agilidade necessária”, disse a empresária e diretora da Cartório Mais de Mogi das Cruzes Maria de Fátima Vieira Duarte.

A franqueada, que conheceu a rede no site da Associação Brasileira de Franchising (ABF), disse que logo percebeu o quanto a empresa poderia mudar não só a sua vida profissional, como trazer facilidades para toda cidade. “Ao me deparar com a rede concluí que era uma empresa diferenciada e que tinha foco na prestação de serviço à comunidade”, argumenta.

Franqueada conheceu a rede no site da ABF e logo percebeu que a franquia
poderia mudar sua vida profissional e trazer facilidades para o município

Franqueada aprova parceria
entre FNEL e a Cartório Mais

A parceria entre a Cartório Mais e a Federação Nacional dos Estudantes Livres (FNEL) está cada dia mais atraindo a atenção dos membros da rede, interessados em emitir em suas lojas a Carteira de Identificação Estudantil (CIE’S).

E uma das primeiras franquias a firmar esta parceria foi em Mogi das Cruzes (SP). Pela cidade abrigar importantes polos estudantis, como a Universidade Mogi das Cruzes (UMC) e a Universidade Brás Cubas (FATEC), a franqueada Maria de Fátima Vieira Duarte logo farejou que dar praticidade ao acesso a este direito dos estudantes poderia ser também um bom negócio.

Vi esta parceria entre a Cartório Mais e a FNEL, como uma grande oportunidade. Estamos fazendo a divulgação em escolas e faculdades e é possível perceber muito interesse. O que tem chamado bastante atenção dos estudantes é a agilidade do serviço, pois o documento fica pronto na hora. Em outras entidades o procedimento demora mais e a entrega depende dos prazos dos Correios“, disse a franqueada de Mogi das Cruzes.

Aproveitando o público das faculdades e colégios da cidade, a franqueada pretende ainda ampliar sua atuação, com o atendimento das cidades vizinhas de Mogi das Cruzes, como: Suzano, Itaquaquecetuba, Maresias e São Sebastião.

Fátima será uma das primeiras franqueadas a oferecer as CIE_S em sua loja

Tire suas dúvidas sobre o SEI Apostila

Desde agosto está em vigor o novo protocolo de legalização de documentos brasileiros a serem utilizados no exterior: o Sistema Eletrônico de Informação e Apostilamento (SEI Apostila). Determinado na Convenção da Apostila da Haia, tal protocolo permite que todo o processo seja feito exclusivamente pelos cartórios e o órgão regulador de todo este procedimento é o Conselho Nacional da Justiça (CNJ).

Este processo visa facilitar a vida dos imigrantes, já que antes do SEI Apostila, para um cidadão brasileiro legalizar algum documento a ser utilizado no exterior, era necessário reconhecer as firmas em um cartório comum, depois autenticar o reconhecimento de firma perante o Ministério das Relações Exterior (MRE), e então reconhecer a autenticação do MRE em uma embaixada ou consulado do país estrangeiro de destino do documento.

Com o SEI Apostila, qualquer pessoa que desejar tornar internacional a validade de um documento público nacional precisará apenas se dirigir a um cartório, inicialmente em todas as capitais do País, e solicitar o apostilamento do documento. A apostila será impressa em papel especial, produzido pela Casa da Moeda, receberá um QR Code e será adesivada ao documento apresentado. O documento será digitalizado no próprio cartório e armazenado juntamente com a versão digital da apostila emitida. Dessa forma, será possível atestar tanto a veracidade da apostila, quanto sua vinculação ao documento apostilado.

Saiba mais:
O cliente precisará da Apostila caso cumpra todos os seguintes requisitos:

  • O País onde foi emitido o documento (origem) seja parte da Convenção da Apostila;
  • O País onde o documento será utilizado (destino) seja parte da Convenção da Apostila;
  • O documento em questão seja considerado documento público, de acordo com a legislação do País em que foi emitido;
  • O País onde o documento será utilizado requeira a Apostila para ser reconhecido como documento público estrangeiro.

*fonte: www.cnj.jus.br